Notícias

O sindicato dos comerciários de São Paulo promove,  mutirão do emprego em São Paulo, ofertando 5.726 vagas.

Programa de suspensão de contrato e redução de jornada é prorrogado

Decreto foi publicado hoje no Diário Oficial da União

O governo federal prorrogou novamente o programa que autoriza empresas a suspenderem o contrato de trabalho ou a reduzirem a jornada e os salários dos funcionários, em troca da manutenção do emprego. O decreto foi publicado hoje (14) no Diário Oficial da União e estende o pagamento do benefício emergencial até 31 de dezembro, quando encerra o estado de calamidade pública decretado em março em razão da pandemia de covid-19.

O Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm) foi instituído pelo governo em abril, por meio da Medida Provisória nº 936/2020 e transformado na Lei nº 14.020/2020 em julho. Ele já havia sido e, agora, terá um prazo total de 240 dias para celebração dos acordos e pagamento de benefício.

Em nota, a Secretaria Geral da Presidência informou que a prorrogação é necessária em razão do “cenário atual de crise social e econômica, e com a permanência de medidas restritivas de isolamento social”. “Essa ação irá permitir que empresas que estão em situação de vulnerabilidade possam continuar sobrevivendo a este período e, desta forma, preservar postos de trabalho e projetar uma melhor recuperação econômica”, diz.

O BEm equivale a uma porcentagem do seguro-desemprego a que o empregado teria direito se fosse demitido e é pago com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

No caso de redução de jornada e salário em 25%, 50% ou 70%, o governo paga um benefício emergencial ao trabalhador para repor parte da redução salarial. As empresas podem optar ainda por pagar mais uma ajuda compensatória mensal a seus funcionários que tiveram o salário reduzido.

Se o trabalhador tiver jornada e salário reduzidos em 50%, seu benefício corresponderá a 50% do valor do seguro desemprego ao que teria direito, se tivesse sido dispensado. No total, o benefício pago pode chegar até a R$ 1.813,03 por mês.

No caso de suspensão do contrato de trabalho em empresas com faturamento anual de até R$ 4,8 milhões, o trabalhador receberá 100% do valor do seguro desemprego a que teria direito. Para empresas com faturamento maior, o valor do benefício pago pelo governo será 70% do seguro desemprego, enquanto a empresa pagará uma ajuda compensatória mensal de 30% do valor do salário do empregado.

Desde o início do programa, 9,7 milhões de trabalhadores fecharam acordos com seus empregadores de suspensão de contratos de trabalho ou de redução de jornada. As estatísticas são atualizadas pela Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia em um painel virtual.


FONTE: AGÊNCIA BRASIL
Por Andreia Verdélio


Imprimir   Email

Últimas Notícias

eSocial

Governo anuncia novo eSocial Simplificado

Além da simplificação, governo publica novo cronograma

O sindicato dos comerciários de São Paulo promove,  mutirão do emprego em São Paulo, ofertando 5.726 vagas.

IBGE: número de desempregados chega a 13,5 milhões em setembro

Aumento foi de 4,3% no mês e de 33,1% desde maio, mostra pesquisa

Auxílio emergencial, Caixa Econômica Federal

Diário Oficial publica lei que regulamenta poupança social digital

Conta é usada para pagar benefícios como o auxílio emergencial

Últimas do Blog

Calendário Implantação eSocial

Novo cronograma de Implantação do eSocial

Governo disponibiliza novo cronograma de Implantação do eSocial.

Facebook

Estamos no Facebook

Sim. Além do Instagram, a partir de hoje vocês poderão nos encontrar e acompanhar pelo Facebook.

Instituto Nacional do Seguro Social (INSS),Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia,Previdência Social

Mudança no FAP para 2021

Com a Portaria Nº 21.232, de 23 de setembro de 2020 foi divulgado que será disponibilizado o FAP para 2021 hoje, 30/09/2020.

MaDom - Cálculos Trabalhistas (Liquidação de sentença)

Parceiro: SeC Advogados

Parceiro: Gabriela Latorre - Advogada

Parceiro: CalTrab - Cálculos Trabalhistas

Informação

Fica autorizada a divulgação e publicação de qualquer conteúdo deste site desde que não sejam para fins comerciais e sejam citadas as fontes.

Os conteúdos deste site não substituem ou dispensam a consulta a um profissional especializado.

Assine nossa newsletter

Fique por dentro! Receba as notícias por email.

Favor habilitar seu javascript para enviar este formulário

Ao assinar você concorda com nossos termos de uso e nossa política de privacidade.
Política de consentimento de Cookie (LGPD)

Nós armazenamos cookies temporariamente para melhorar a sua experiência de navegação e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, aceitar ou rolar esta página ou continuar a navegar, você concorda com nossa política de privacidade.